Pode Ler – Livro: Nosso Lar #20

Pode Ler – Livro: Nosso Lar #20

Gente, há quanto tempo! Eu estava com saudades deste nosso encontro semanal… 😊

Adivinhe? Hoje tem capítulo novo – Capítulo 20 – Noções de lar. Vamos lá!

André Luiz pergunta à D. Laura como é a organização do lar na colônia espiritual. D. Laura informa que a colônia Nosso Lar é uma cidade de transição, cuja finalidade reside no trabalho e no aprendizado. E haja aprendizado, hein, jovem leitor? E o primeiro aprendizado de André (e nosso) é a definição de lar com conceitos matemáticos (isso mesmo!!!), vinculado a conceitos morais.

Lá vai a fórmula:

“o lar é como se fora um ângulo reto nas linhas do plano da evolução divina. A reta vertical é o sentimento feminino, envolvido nas inspirações criadoras da vida. A reta horizontal é o sentimento masculino, em marcha de realizações no campo do progresso comum.”

“O lar é sagrado vértice onde o homem e a mulher se encontram para o entendimento indispensável.” É templo divino, sagrado.

Jovem leitor, você conhece lares assim, onde o amor, o respeito, a compreensão, a renúncia, a harmonia justa estejam presentes? Onde os direitos e deveres são legitimamente partilhados? Não fique triste se você não conseguir identificar lares com estas características.

No início da união tudo é harmonioso, alegre. Há um cuidado contínuo em ajudar e apoiar o outro. Com o passar do tempo, a beleza luminosa do Amor entre os cônjuges vai diminuindo, sendo apagada. Quando que isso acontece, jovem leitor?

D. Laura esclarece que “o lar é conquista sublime [grifo nosso] que os homens vão realizando vagarosamente”. Se é conquista, significa que há um esforço pessoal e um esforço coletivo (de todos os envolvidos) para aquisição e desenvolvimento de virtudes, que com o tempo, o lar ser transformará, verdadeiramente, em templo divino.

Em Nosso Lar, as almas femininas “assumem numerosas obrigações, preparando-se para voltar ao planeta ou para ascender a esferas mais altas”.

Vamos lembrar como os Espíritos conceituam o trabalho? Consta em O Livro dos Espíritos:

675- Por trabalho só se devem entender as ocupações materiais?
“Não; o Espírito trabalha, assim como o corpo. Toda ocupação útil é trabalho.”

676- Por que o trabalho se impõe ao homem?
“Por ser uma consequência da sua natureza corpórea. É expiação e, ao mesmo tempo, meio de aperfeiçoamento da sua inteligência. Sem o trabalho, o homem permaneceria sempre na infância, quanto à inteligência. Por isso é que seu alimento, sua segurança e seu bem-estar dependem do seu trabalho e da sua atividade. Ao extremamente fraco de corpo outorgou Deus a inteligência, em compensação. Mas é sempre um trabalho.”

D. Laura esclareceu também a respeito das ocupações das almas femininas com o serviço maternal. Sim, o cuidado com as crianças. Esclarece-nos: “Quando o Ministério do Auxílio me confia crianças ao lar, minhas horas de serviço são contadas em dobro, o que lhe pode dar ideia da importância do serviço maternal no plano terreno”.

Quais lições você tira desse esclarecimento de D. Laura, jovem leitor? Aliás, de todo o capítulo?

Convido-o a ler as questões 774 e 775 de O Livro dos Espíritos

André Luiz ficou muito impressionado com os conceitos novos a respeito da família, do lar, do papel das almas femininas, das almas masculinas. Também fiquei.

Vá lá na própria obra, acesse o capítulo, reflita, registre suas impressões (suas dúvidas, também), tire suas conclusões. Quais são os seus aprendizados desta semana? 😃

Comente aí para nós!

Até a próxima semana!

Fontes
Nosso Lar – André Luiz (espírito), Francisco Cândido Xavier (psicografia)
O Livro dos Espíritos – Allan Kardec
www.pixabay.com.br
CC BY-SA 3.0https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=617424

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.