AMOR AOS ANIMAIS - Proteção, respeito, exageros

AMOR AOS ANIMAIS - Proteção, respeito, exageros

Muitos temos ou já tivemos, em algum momento de nossas vidas, algum animal de estimação. Cães, gatos, pássaros, peixes, tartarugas, cavalos, porquinhos da índia são alguns de nossos amigos pets. O contato com esses seres desenvolve em nós nossos melhores sentimentos, contribui nos processos de tratamento da solidão, entre outros.

Esse contato também é capaz de auxiliar o ser humano nos mais diversos tipos de tratamentos, fazendo do animalzinho (às vezes são de grande porte) um excelente agente terapêutico em idosos e crianças com necessidades específicas, também nos diversos em casos de depressão, em doenças psiquiátricas, síndrome de down, autismo, etc. Para saber mais, acesse a matéria abaixo:

https://saude.abril.com.br/blog/com-a-palavra/o-que-e-a-terapia-assistida-por-animais-e-como-ela-pode-ajudar/#:~:text=A%20terapia%20assistida%20por%20animais%20(TAA)%20%C3%A9%20um%20valioso%20instrumento,com%20defici%C3%AAncias%20f%C3%ADsicas%20ou%20intelectuais.

Considerado Padroeiro dos animais, Francisco de Assis os tratava como irmãos e irmãs, assim como a toda Criação. Via neles a manifestação expressa da bondade divina.

Todos nós devemos amor e respeito aos animais que a todo instante dão-nos exemplos de respeito, confiança, cuidado. O amor entre os animais inspira-nos a sermos melhores a cada dia. Assista ao vídeo:

Segundo Divaldo Franco, “o amor aos animais demonstra uma grande conquista pela sociedade, em razão do respeito à vida em todas as suas expressões.” “Eles merecem as mais carinhosas expressões de ternura e cuidados na condição em que estagiam.”

Assistamos ao trecho de uma palestra proferida por Divaldo Franco:

Como a Doutrina dos Espíritos aborda a questão dos animais frente a Criação, ao processo evolutivo dos seres?

A Natureza deu aos animais todos os recursos para satisfação de suas necessidades e para sua conservação, mecanismos estes que o homem tem que inventar por meio de sua inteligência.  

Muitas vezes ficamos impressionados quando vemos animais agindo denotando especial inteligência, muitas vezes superior a determinados humanos, não se podemos negar. A bem da verdade, os Espíritos Superiores esclarecem-nos que tudo o que eles executam, o que consideramos extraordinário, nada mais é que um aprendizado resultado de uma ação direta do ser humano. E se bem observarmos, há limitações de aprendizagem. Por exemplo, os nossos irmãos animais não são capazes de criar nada e nem melhorar coisa alguma (O Livro dos Espíritos – Q. 593).

Assim, a liberdade dos animais se limita aos atos da vida material, ou seja, para satisfação das suas necessidades e sua preservação.

Eles não têm deveres como nós, humanos, temos. No entanto, não são simples máquinas. Há, sim, uma inteligência, porém limitada, restrita ao mundo material. Essa inteligência emana da mesma fonte da inteligência do homem, não é maravilhoso? No caso do homem, esse princípio passou por uma elaboração que o eleva acima do animal. Explicando melhor: em nós, humanos, a inteligência proporciona a vida moral, situação que não ocorre entre os animais, por mais fofos que sejam.

A morte desses entes queridos é motivo de tristeza por parte de seus donos, pois muitas vezes são considerados membros da família. Neste momento surge uma pergunta: o que acontece com os animais após a morte? Há um céu só para eles?

No mundo espiritual, além da presença de Espíritos, há também a presença de animais silvestres e domésticos, conforme nos relata André Luiz na obra Nosso Lar.

Nos mundos superiores há também os animais aperfeiçoados, porém sempre serão inferiores ao homem. Nós temos a incumbência de auxiliá-los em seu progresso.

Os animais também progridem, sabiam disso? A Lei do Progresso é para toda a Criação!

Os Espíritos Superiores esclarecem que há nos animais, assim como no ser humano, um elemento que é independente da matéria e que sobrevive ao corpo. É também alma, porém muito inferior à alma / espírito humano.

Assim como o ser humano, alma dos animais conserva sua individualidade, quando no mundo espiritual, porém não tem consciência do seu eu. A consciência do eu é o principal atributo do Espírito; o animal não a tem.

Após sua morte, o espírito [alma] do animal passa é classificado por uma “equipe espiritual especializada”, e ganha uma utilidade (reencarnam) quase que imediatamente. E como não tem o livre-arbítrio, não escolhe a espécie de animal que reencarnará.

“Há entre a alma dos animais e a do homem distância equivalente
à que medeia entre a alma do homem e Deus.”

(O Livro dos Espíritos – Q. 597-a)

Chico Xavier tinha um enorme carinho pelos animais. É de conhecimento de muitos a relação afetuosa entre Chico e Boneca, uma cadela que sempre o esperava. Vejam este lindo caso:   

www.kardecriopreto.com.br/chico-e-sua-cachorra-boneca/

Tudo é solidário na Natureza!!!

“(…) Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável
harmonia, mediante a qual tudo é solidário na Natureza.
Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e
criado seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da sua
bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.”

(Q. 607-a O Livro dos Espíritos)

Amar, cuidar, respeitar nossos irmãos em evolução é nosso dever. No entanto, ainda se observam atitudes extremas. Por um lado, inúmeros casos de maus tratos e abandonos. Por outro lado, os comportamentos exagerados nos cuidados aos animais, tornando uma afronta ao sofrimento dos “invisíveis”, cada vez mais excluídos e desprezados. Por mais que se queira: é impossível transformar em “humano” nossos irmãos animais!

No artigo intitulado Amor aos Animais, Divaldo Franco pondera a respeito da substituição do afeto de um ser humano pelo de um animal: “(…) lamentável, porque os dois não são incompatíveis [a substituição do afeto]. Pode-se amar o gênero humano e também o animal, com o mesmo calor emocional e cuidado.”

Convidamos à leitura na íntegra do artigo, que traz reflexões muito importantes.

www.febnet.org.br/blog/geral/colunistas/artigos-espiritas/amor-aos-animais/

O nível de consciência quanto ao trato com os animais e com os seres humanos precisa ser ampliado. Ambos somos criaturas de Deus na jornada infinita do progresso. Que o grande mandamento “Amar ao próximo como a nós mesmos” seja uma realidade cada vez mais presente em nossas vidas.

Vamos conversar mais sobre esse tema na nossa próxima live de sábado às 18h no YouTube com nosso podcast! A live será no canal do Cefak no YouTube! Aguardamos você no Podlá!

O que achou do conteúdo? Gostaria de fazer algum comentário sobre o tema? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Fontes
O Livro dos Espíritos – Allan Kardec
Nosso Lar – André Luiz (espírito), Francisco Cândido Xavier (psicografia)
Imagens: www.pixabay.com.br
Artigo: https://saude.abril.com.br/blog/com-a-palavra/o-que-e-a-terapia-assistida-por-animais-e-como-ela-pode-ajudar/#:~:text=A%20terapia%20assistida%20por%20animais%20(TAA)%20%C3%A9%20um%20valioso%20instrumento,com%20defici%C3%AAncias%20f%C3%ADsicas%20ou%20intelectuais.
Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=-OHVw5AwBWQ
Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=EVWiGEA_1YA
Artigo: https://www.kardecriopreto.com.br/chico-e-sua-cachorra-boneca/

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *