Espiritismo e Astronomia

Espiritismo e Astronomia

“Há muitas moradas na casa do Pai.” (Jesus)

Olá, jovens! Abrimos a aula com uma afirmação de Jesus que, na época em que foi dita, poucos conseguiram entender o que ela significava. Atualmente, com o avanço das ciências naturais, como a Astronomia, sabemos o quanto é vasto o nosso universo e que não faltam planetas com condições de vida diferentes. Alguns se assemelham a Terra, outros tem uma composição que impediria nosso corpo material de pôr os pés em seu solo.

Segundo Ruy Alberto Gatto, “a Astronomia parece ser importante por levar à compreensão de Deus […] de uma maneira peculiar: o indivíduo, tomando conhecimento do Universo, nele se situa e daí surge uma consciência que foge do lugar comum, pois se somos um grão de areia no universo, nem por isso o todo pode ser concebido sem a presença do espírito que somos”.(*)

Pessoal, para vermos o quanto a Astronomia tem relevância na nossa compreensão do divino, olha que curioso:

  • Hippolytte Léon Denizard Rivail, nosso Allan Kardec, quando ministrava aulas, uma das disciplinas de que ministrava era Astronomia;
  • Camille Flamarion, um dos colaboradores da época da Codificação, era um astrônomo brilhante, diretor do observatório de Juvisy-sur-Orge, autor de farta bibliografia e detentor de vários prêmios científicos;
  • O também professor Eurípedes Barsanulfo, por recomendação expressa de Maria Santíssima, inseriu os estudos de Astronomia no Colégio Allan Kardec.

Será que são meras coincidências? Joanna de Ângelis acha que não:

O Espiritismo é a síntese mais avançada do conhecimento humano, no seu tríplice aspecto de filosofia, ciência e religião.

Doutrina racional e evolucionista, abarca todos os aspectos que dizem respeito às coisas e existências que nos cercam, lançando os fundamentos de uma teoria do todo.

Progressista, jamais dirá a última palavra, mas tudo o que declarar têm por base a verdade.

O dogma da reencarnação esclarece em profundidade o enigma das relações entre os seres inteligentes, desvelando os caminhos do progresso da alma e sua destinação divina no rumo da felicidade.

Sua concepção de Deus nos liberta de um domínio mesquinho de falsas ideias, de penas eternas e de irresponsabilidade pelo próprio destino.

Revelando a pluralidade dos mundos habitados, estabelece uma íntima integração com a Astronomia, sugerindo objetos e instrumentos de pesquisa mais sofisticados, como é o caso da mediunidade na exploração do cosmos.

Formula uma escala dos seres inteligentes em consonância com a diversidade dos mundos, enunciando a evolução que preside todos os seres e coisas.

Com fortes raízes na filosofia grega, nos apresenta Jesus como o demiurgo, o criador e governador da Terra.

Precisa dizer mais?

Sobre o papel da astronomia, destacamos sua função de exploradora do entorno que nos cerca, demonstrando inequivocamente nossa verdadeira dimensão no universo.

Dando o golpe de misericórdia no geocentrismo, identificou que fazemos parte de um sistema solar, que compartilha com infinitos congêneres no espaço, bilhões de outros astros que se aglomeram em constelações e galáxias sem fim, rolando e sofrendo transformações pelos caminhos eternos, regidos pelas imutáveis leis de Deus.

Como filhas diletas, gerou a astrofísica e a astronáutica, que complementam o trio investigativo da constatação da afirmativa matemática da multiplicidade dos mundos habitados.

Ora, um sério obstáculo às comunicações interplanetárias são justamente as distâncias gigantescas que nos separam dos vizinhos. A própria comunicação entre os pontos diferentes da Terra por séculos foi difícil pela falta de tecnologia suficiente para isso! Hoje temos a Internet para facilitar, imagine então o que precisaríamos criar para nos comunicar com outros planetas? 🤔

Os diferentes estados da matéria que compõem o universo também constituem elementos desafiadores, mas que serão certamente superados. Enquanto isso, não temos como fazer um contato direto com seres que não tem o mesmo corpo denso material que o nosso! Um exemplo simples para auxiliar a entender isso podemos ver aqui na Terra mesmo, a água em seu estado gasoso não conseguimos segurar em nossas mãos, mas a água quando evapora consegue se unir com outras partículas gasosas de água e formar uma nuvem!

Nas obras da Codificação encontramos relatos e descrições importantes sobre a vida em outros planetas, além de comunicações de seus habitantes que muito nos esclarecem sobre os propósitos do Criador para com tudo que existe.

Assim, ficamos sabendo que além dos mundos visíveis, por exemplo, existem os invisíveis, habitados por seres com diversas densidades de matéria.

Surge, então, a mediunidade como ferramenta de exploração do cosmos já disponibilizada pelo Espiritismo para incrementar as pesquisas em andamento.

A Astronomia ao revelar a infinitude da criação cósmica, no abismal espaço e na eternidade do tempo, nos leva a refletir sobre o imenso poder de Deus e sobre como nos situar e proceder como Espíritos nos primeiros degraus da escala evolutiva.

Concluindo:

Sabendo que a Terceira Revelação foi fruto de planejamento rigoroso no Mundo Maior, nada mais lógico de que seus profitentes, encarnados e desencarnados, elucidassem os vínculos existentes entre conhecimentos que acompanham a civilização desde o seu início, dando encaminhamento às questões existenciais da maior importância:

De onde viemos? Onde estamos? Para onde vamos?

C.Q.D. Como diria o nosso professor de geometria.

(*) GATTO, Ruy Alberto. A relevância do ensino de astronomia na pedagogia Espírita. Universidade Santa Cecília – UNISANTA (Curso De Pós-Graduação em Educação e Pedagogia Espírita): Santos-SP, 2006.

Vamos conversar mais sobre esse tema na nossa próxima live de sábado às 18h no YouTube com nosso podcast! A live será no canal do Cefak no YouTube! Aguardamos você no Podlá!

O que achou do conteúdo? Gostaria de fazer algum comentário sobre o tema? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *